sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Sardinha assada na brasa com salada de pimentos



Não podia faltar no blogue uma publicação da tão tradicional sardinha assada na brasa com a tão típica salada de pimentos que a acompanha.

Associada desde sempre à alimentação popular, a sardinha começa hoje a ser usada também por grandes chefes. Pela sua abundância na costa portuguesa a sardinha era um peixe barato e acessível, ao contrário de hoje que chega a atingir facilmente os 10€ o kg.

A época ideal para a consumir é de Junho a Outubro, meses em que tem o melhor sabor e quem não gosta nestes meses de uma bela sardinha assada na brasa, servida tradicionalmente no pão, ou no prato?

Para assar a sardinha na brasa ( que é um peixe gordo) o lume deve já estar muito brando ( o carvão fica esbranquiçado) e cada sardinha deve assar de cada lado 2 ou 3 minutos no máximo, até alourar, mas sem a deixar ficar seca. No final é só servir, com ou sem pão, degustar e aproveitar um dos peixes com mais benefícios para a nossa saúde que existe!


Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção - 30 m

Ingredientes

  • 15 sardinhas
  • sal q.b.



Salada

  • meio pimento encarnado
  • meio pimento verde
  • meia cebola pequena
  • alface q.b.
  • tomate q.b.
  • azeite e vinagre q.b.
  • sal q.b.







Confecção

1. Tempere as sardinhas de sal. Prepare o lume e quando já tiver colocado o carvão coloque os pimentos a assar. Quando a pele estiver preta retire-os, coloque-os num saco de plástico, feche e deixe assim uns 10 minutos, este processo fará com que os pimentos acabem de cozinhar ao vapor e facilita o retirar da pele do pimento.

2. Quando o lume já estiver brando coloque as sardinhas a assar 2 ou 3 minutos de cada lado, até alourarem, mas sem as passar demais para não secarem. Retire-as então da grelha e coloque numa travessa.

3. Abra o saco dos pimentos e retire-lhes a pele. Desfie-os com as mãos em tiras. Arranje a alface e o tomate e coloque numa saladeira. Por cima disponha os pimentos e de seguida a cebola cortada em rodelas. Tempere a gosto de sal, azeite e vinagre. mexa a salada de seguida.

4. Sirva a sardinha assada na brasa por cima de uma fatia de pão, no prato mas sempre com a tradicional salada de pimentos.


Bom apetite!




Nota

Encontrei um artigo muito interessante sobre a história e importância da sardinha na cultura gastronómica portuguesa. Deixo aqui esse texto com referência ao seu autor.

Sardinha, rica sardinha

" A sardinha sempre foi associada a alimentação popular e recentemente assistimos à sua utilização por grandes chefes e para grandes mesas, que dizer, alta gastronomia ou cozinha de autor.

Ninguém como os Portugueses para se deliciarem com sardinhas assadas e colocadas sobre fatia de pão de mistura. Claro que instintivamente a tradição de comer sardinhas está associada à época em que o seu sabor é melhor. Por isso a sardinha transforma-se em emblema culinário das festas populares de Junho. E lá diz o ditado: “No S. João a sardinha pinga no pão”. 

Claro que a sardinha é também o elemento culinário do Santo António. É de facto neste tempo que a sardinha está gorda, a sua pele liberta-se com facilidade e a sua gordura embebe o pão de forma gulosa.

Domingos Rodrigues (1680), autor do primeiro livro de receitas em portugal sugere os meses de Novembro e Dezembro, apesar de não dar nenhuma receita. Lucas Rigaud (1780) nem sequer menciona as sardinhas. Já João da Mata (1876) lhe concede honras de três receitas: Sardinhas à Mata, Sardinhas em Pastelinhos à Portuguesa, e Sardinhas em Espiches.

Olleboma (1936), autor de Culinária Portuguesa recomendava que a sardinha fosse consumida de Junho a Outubro pois eram os meses de melhor sabor e menciona que “a sardinha é o peixe mais abundante em toda a costa de Portugal… consome-se fresca, salgada e em conserva de azeite”. Como modos de confecção apresenta várias receitas de fritas, grelhadas ou assadas na brasa, recheadas e fritas com molho de tomate à moda de Setúbal.

Não vou continuar a relatar a presença da sardinha nos clássicos de receituários de culinária portuguesa. Devo, no entanto, referir a importância que a indústria conserveira teve durante o século XX.

O sistema de conserva dos alimentos após cozedura e isolamento do ar foi descoberto por um cozinheiro francês de nome Appert e já em 1804. Mas é em Inglaterra que se estabelece em 1810 a primeira indústria de conservas em folha-de-flandres, mas o produto final era muito caro pelo seu manuseamento.

Curioso é encontrar já uma receita de sardinhas no famoso livro, que eu traduzo directamente do francês para “As delícias da mesa e os melhores tipos de comida”, de Ibn Razin Tujibi, escrito entre 1238 e 1266, e publicado no tempo da dinastias Almohade e Mérinide, no domínio de Al Andalus e do Maghreb. Isto porque a sardinha era considerada um peixe popular, ou menor.

Será fácil admitir que a sardinha já constava dos peixes que os romanos consumiam e que seria um dos elementos que entrava no famoso garum. Este seria uma pasta de peixe imaginada como sistema de conservação do peixe após a chegada dos barcos, e de cujo fabrico temos informações de Setúbal e Monte Gordo, condizentemente os locais onde se estabeleceram as primeiras indústrias de conserva.

Durante a Idade Média haveria até 240 dias de jejum de carne pelo que os frutos pesqueiros seriam a base da alimentação. A sardinha era primordial. Consta mesmo que no primeiro “restaurante” instalado na Praça da Ribeira, o Mal Cozinhado, se prestaria a fritar o peixe e servi-lo sobre fatias de pão.

A sardinha transformou-se num produto popular pelo seu preço, e vulgarizou-se, como a melhor forma de a saborear, assada na brasa.

A sardinha durante o século XX teve picos de glória e de abandono, deixando de ser prato de mesas finas ou abastadas. Para o interior vinham em barricas com sal pois para as grandes tarefas agrícolas era necessário contratar galegos que não abdicavam de comer peixe. Outras formas, de conservação, levaram à criação de outro receituário como as empadas ou bolas de sardinha.

A importância popular da sardinha foi, e é, tão grande que a linguagem proverbial a adoptou em vários sentidos:
  • “Da garganta para baixo, tanto sabe a galinha como a sardinha”
  • “Na tua casa não tens sardinha e na alheia pedes galinha”
  • “Nem sempre galinha, nem sempre sardinha”
  • “A mulher e a sardinha querem-se pequenina”
  • “A mulher e a sardinha quanto maior mais danadinha”
  • “Não há comida abaixo da sardinha, nem burro abaixo de jumento”
  • “Se tens sardinha… não andes à cata de peru”
  • “Estar apertado como sardinha em lata”
  • “Comer sardinha e arrotar pescada”
  • “Tirar a sardinha com a mão do gato”

Autor : Virgílio Nogueira Gomes  

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Salada russa com atum e camarão


Mais uma sugestão leve e fresca para os dias de calor, esta salada russa com atum e camarão, à qual juntei também alface e que resulta numa deliciosa refeição. Espero que gostem!


Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção - 20 m+ 20 m no frigorífico


Ingredientes

  • 10 camarões cozidos
  • 2 latas de atum ao natural Conservas La Gondola 
  • 2 ovos
  • 6 batatas médias
  • 1 cenoura
  • 50 g ervilhas congeladas
  • 6 folhas de alface frisada
  • sal q.b.






Confecção

1. Descasque as batatas e corte-as em cubos. Faça o mesmo à cenoura. Leve ao lume um tacho com água e uma pitada de sal. Coloque os ovos lavados lá dentro e deixe ferver. Após levantar fervura junte a batata, a cenoura e as ervilhas. Deixe levantar fervura novamente e coza por 15 minutos.

2. Passado este tempo verifique se os legumes estão cozidos. Se estiverem desligue o lume, escorra-os e passe-os por água fria. Descasque também os ovos.

3. Coloque numa taça de servir a alface lavada e arranjada. Por cima coloque os legumes que cozeu, bem como os ovos aos quartos, o atum escorrido e desfeito e por fim o camarão descascado.

4. Leve ao frigorífico por 20 minutos. Sirva com maionese a gosto.

Bom apetite!





quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Bifes de peru grelhados na chapa com tomate, azeitonas e queijo fresco



Hoje trago-vos uma receita diferente, mas que se faz muito facilmente e os sabores combinam na perfeição: Estes bifes de peru grelhados na chapa com tomate, azeitonas e queijo fresco. Deixo a sugestão esperando que gostem.


Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção - 25 m


Ingredientes

  • 4 bifes de peru finos
  • 1 dente de alho
  • meio limão
  • 2 queijos frescos Galbani 
  • azeitonas verdes descaroçadas q.b.
  • 4 tomates chucha maduros
  • sal q.b.
  • coentros frescos q.b.






Confecção

1. Comece por temperar os bifes com sal e o dente de alho ralado. Misture bem e deixe tomar gosto. Unte o grelhador de fogão com um fio de azeite e leve ao lume. Quando estiver bem quente coloque os bifes e grelhe-os de ambos os lados até estarem alourados. Depois de grelhados regue-os com sumo de limão.

2. Enquanto os bifes grelham prepare a restante receita. Corte os queijos frescos em cubos, as azeitonas verdes em rodelas e o tomate também em cubos ( sem as sementes).Tempere ligeiramente com sal fino.

3. Coloque esta mistura por cima dos bifes de peru grelhados e sirva de seguida.

Bom apetite!





terça-feira, 1 de setembro de 2015

Salada de batata, tomate, abacate, filetes de cavala e sardinhas em conserva


Bom dia! Começa um novo mês, já estamos em Setembro! Para hoje trago-vos mais uma salada deliciosa, cheia de nutrientes, saudável e com as fantásticas conservas da Fábrica de Conservas La Gondola. Uma sala que serve de refeição, cheia de legumes e ingredientes benéficos para a nossa saúde.


Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção - 30 m

Ingredientes

  • 10 folhas de alface lisa
  • 1 abacate maduro mas firme
  • 2 tomates de cacho
  • 2 ovos
  • 10 batatas brancas pequenas
  • 1 lata de filetes de cavala*
  • 1 lata de sardinhas Bio*
  • 1 lata de sardinhas em azeite e limão*
  • azeite virgem extra q.b.
  • sal q.b.
  • sumo de limão q.b.
  • orégãos secos q.b.
  • salsa fresca q.b. 






Confecção

1. Lave bem as batatas ( devem ser pequenas). Leve ao lume um tacho com água e as batatas inteiras e com casca e os ovos lavados. Deixe levantar fervura. Após ferver coza as batatas por 20 minutos. Passado este tempo verifique se as batatas estão cozidas, espetando-as com um garfo. Escorra-as, passe-as por água fria algumas vezes para arrefecer.

2. Numa travessa coloque  primeiro as folhas de alface inteiras, toda à volta da travessa. Corte os tomates em cubos ( retire as sementes). Faça um golpe à volta do abacate, rode e retire o caroço. Escave a polpa com uma colher e corte-a em cubos. Junte ao tomate. Tempere esta mistura com sal, azeite e sumo de limão a gosto. Disponha esta salada também na travessa por cima da alface.

3. Descasque as batatinhas e corte-as em rodelas. Coloque-as então na travessa também, Corte um dos ovos cozidos em quartos e pique o outro. Por cima das batatas coloque as conservas, as sardinhas e os filetes de cavala. Tempere a gosto com azeite. Coloque o ovo picado, a salsa picada e uma pitada de orégãos. Sirva de seguida.

Bom apetite!




* Conservas da Fábrica de Conservas La Gondola usadas nesta receita







segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Arroz de ervilhas e cenoura com açafrão da Índia



Para terminar o dia trago-vos esta receita bem colorida de arroz de ervilhas e cenoura com açafrão da Índia.


Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção - 20 m

Ingredientes

  • 120 g arroz agulha
  • 1 cenoura
  • 3 c. sopa de ervilhas congeladas
  • meia cebola média
  • azeite q.b.
  • sal q.b. 
  • açafrão da Índia q.b.




Confecção

1. Pique finamente a cebola. Descasque a cenoura e corte-a em pequenos cubos. Cubra o fundo de um tacho com azeite e junte a cebola. Leve ao lume e quando começar a ferver, reduza o lume, junte a cenoura e as ervilhas e deixe alourar por uns 4 minutos ou até a cebola estar mole.

2. Junte o arroz e envolva bem. Aumente o lume e frite o arroz por 1 ou 2 minutos. De seguida junte água ( cerca de 300 ml de água) e deixe ferver.

3. Quando levantar fervura, tempere a gosto de sal e junte açafrão, mexa , reduza o lume para médio, e deixe o arroz cozer por 15 minutos. Passado este tempo desligue o lume. Tape o tacho e deixe estar assim mais 3 ou 4 minutos. Sirva de seguida.


Bom apetite!


Bruschetta com tomate e mozzarella


Bom início de semana! Trago-vos uma entrada leve, fresca e deliciosa para estes dias de calor e que ficou muito boa: Bruschetta com tomate e mozzarella. Servidos?



Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção - 10 m


Ingredientes

  • 2 bolinhas ou carcaças
  • 1 tomate grande e maduro
  • 1 queijo mozzzarella da Galbani
  • 1 dente de alho
  • azeite virgem extra q.b.
  • orégãos secos q.b.
  • manjericão fresco q.b.
  • sal fino q.b.






Confecção

1. Corte os pães ao meio. Leve-os a tostar. Depois de tostados esfregue-os com o dente de alho. Regue com um fio de azeite cada metade de pão.

2. Corte o tomate em cubos ( sem sementes) e o mozzarella também. Coloque uma porção de queijo mozzarella e tomate por cima de cada pão.Salpique com uma pitada de sal fino, orégãos secos e por fim, folhas de manjericão. Sirva de seguida.

Bom apetite!




domingo, 30 de agosto de 2015

Entremeada na brasa


No Verão os grelhados no carvão sabem mesmo bem. Foi  o caso de um destes dias em que fizemos esta entremeada na brasa, que de vez em quando sabe muito bem. DEixo a sugestão.


Receita para 2 pessoas
Grão de dificuldade - fácil
Tempo confecção - 40 m


Ingredientes


  • 6 peças de entremeada
  • sal q.b.
  • sumo de limão q.b.





Confecção

1. Tempere a entremeada de sal. Prepare o lume e quando as brasas estiverem já brandas ( esbranquiçadas) coloque a carne e grelhe-a de ambos os lados até estar alourada a gosto. Retire da grelha regue com sumo de limão e sirva com uma boa salada.

Bom apetite!


sábado, 29 de agosto de 2015

Esparguete à bolonhesa



Esta é uma das receitas tradicionais italianas mas que nós portugueses adoptámos e adoramos: o famoso esparguete à bolonhesa. Há 2 formas de o fazer, de forma rápida, ou à moda italiana em que o molho fica a cozinhar lentamente, em lume brando até estar bem apurado. Desta vez fiz essa versão e obtém-se um delicioso esparguete à bolonhesa.


Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo confecção - 30 m


Ingredientes

  • 200 g esparguete
  • 500 g de carne de vaca picada
  • meia cebola média
  • 1 lata de tomate pelado aos pedaços
  • 1 c. chá rasa de açúcar
  • azeite q.b.
  • sal e pimenta preta q.b.
  • 1 dente de alho
  • 1 folha de louro





Confecção

1. Coloque bastante água num tacho, tempere de sal e quando começar a ferver junte a massa. Mexa e deixe-a cozinhar por 12 minutos após levantar fervura. Depois de cozida escorra-a, mas reserve uma concha do caldo de cozer a massa.

2. Enquanto a massa coze prepare o molho. Pique finamente a cebola e o alho. Cubra o fundo de um tacho com azeite e aloure a cebola e o alho. Junte a lata de tomate aos pedaços, tempere de sal, pimenta, junte o louro e o açúcar. Deixe ferver. Após levantar fervura, reduza o lume e deixe cozinhar por uns 10 minutos, mexendo de vez em quando.

3. Junte então o caldo de cozer a massa, levante o lume, deixe levantar novamente fervura e de seguida junte a carne picada, deixando ferver novamente, mexendo de vez em quando para a carne se soltar.Baixe novamente o lume e deixe cozinhar em lume brando por mais 15 minutos, mexendo de vez em quando. Desligue o lume, prove e se necessário rectifique os temperos.

4. Em cada prato coloque uma porção de esparguete e por cima o molho. Sirva com queijo parmesão ou mozzarella ralado.

Bom apetite!




sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Bife de atum grelhado com molho de três pimentos



Trago-vos mais uma receita de atum fresco, que geralmente faço para o meu marido, pois não aprecio. Assim foi num destes dias. Usei o grelhador eléctrico e o molho é feito com aqueles pimentos doces , que combinam na perfeição com o atum. Deixo a sugestão, esperando que gostem!


Receita para 1 pessoa
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção - 15 m

Ingredientes

  • 250 g de lombo de atum
  • sal q.b.


Molho

  • 3 pimentos doces ( laranja, encarnado e amarelo)
  • 2 hastes de salsa
  • 1 c. sopa de azeite
  • vinagre de vinho branco q.b.




Confecção

1. Tempere o lombo de atum ( descongelado) com uma pitada de sal, de ambos os lados. Ligue o grelhador eléctrico e quando estiver bem quente coloque o atum a grelhar. Grelhe-o cerca de 2 minutos de cada lado ( depende da grossura, o atum deve ficar quase cru por dentro).

2. Faça o molho. Pique em pequenos cubos os pimentos, retirando as sementes e coloque numa tigela. Pique também a salsa. Junte o azeite e umas gotas de vinagre. Misture bem.

3. Sirva o bife de atum com o molho por cima.


Bom apetite!


Salada de couve rábano e couve roxa com molho cremoso



Nunca tinha experimentado couve rábano e na ida à horta biológica da Quinta do Pisão ( Cascais) comprei 2 para experimentar, um branco e um roxo. Gostei muito, é um legume crocante e das receitas que andei a pesquisar aconselham a servir com um molho cremoso. Assim foi e gostámos bastante. Deixo a  sugestão.

Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção - 15 m


Ingredientes

  • meia couve rábano branca
  • meia couve rábano roxa
  • 1/4 de couve roxa
  • 1 maçã média
  • sal q.b.
  • coentros frescos q.b.



Molho

  • 1 ovo
  • 1 c. chá de mostarda
  • sal q.b.
  • sumo de limão q.b.
  • óleo de girassol q.b.





Confecção

1. Corte ao meio ambas as couves rábano, descasque-as e corte-as em pequenas tiras. Descasque a maçã e corte-a também em pequenas tiras, tal como fez à couve rábano. Corte a couve roxa muito finamente. Misture tudo numa saladeira e tempere ligeiramente de sal.

2. Faça o molho. Numa taça coloque o ovo inteiro, a mostarda, o sal, o sumo de limão e mexa bem com uma vara de arames até fazer espuma. De seguida vá juntando em fio o óleo , batendo sempre com a vara de arames até obter uma espécie de maionese, mas menos cremosa.

3. Junte então o molho à salada, envolva bem e junte algumas folhas de coentros. Sirva de seguida.

Bom apetite!





Couve rábano, branca e roxa:



quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Preparar ervas aromáticas depois de secas- Louro, alecrim e orégãos



Na sequência deste post já publicado de como secar ervas aromáticas - louro, alecrim e orégãos, hoje trago-vos a forma de preparar para conservar estas ervas depois de secas.  Três semanas depois as ervas já estavam secas e prontas a preparar para conservar e usar no dia-a-dia.

Vamos ao louro.

LOURO




O louro é o mais fácil de arranjar depois de seco. É só retirar as folhas dos caules e colocar em potes , para usar no dia-a-dia. Para guardar por mais tempo guarde em frasco fechados hermeticamente. Simples e está pronto a usar.


ALECRIM 




Arranjar alecrim seco para guardar também não é difícil, basta passar os dedos pelas hastes do alecrim já seco no sentido contrário ao das folhas que elas saem de imediato . Aconselho que o façam para um pedaço de folha de alumínio ou algo semelhante para depois ser mais fácil colocar no frasco. Depois é só guardar num frasco bem vedado.





ORÉGÃOS




Arranjar orégãos secos pode parecer um pouco mais trabalhoso, mas vale a pena, porque o sabor destes orégãos em nada se compara aos que compramos em frascos e conservam-se por muito tempo, num frasco bem vedado.


Os orégãos secos preparam-se da seguinte forma, pegue em cada caule e com os dedos puxe no sentido contrário da folha. Na parte de cima, a parte espigada, coloque-as entre as mãos ou dedos e esfarele-a. Faça isto para uma taça larga para não espalhar orégãos por todo o lado.



Depois de todos os orégãos esfarelados na taça, volte a esfarelá-los com as mãos, até obter os orégãos mais moídos e não com pedaços grandes. Repita a operação até obter orégãos finos. Guarde-os depois num frasco bem vedado. E estão prontos a usar.



Frango aos pedaços no churrasco com molho de manteiga e lima



Verão e churrasco combinam na perfeição. E eu adoro frango no churrasco. Esta é a forma como ultimamente temos feito o frango no churrasco cá em casa, eu parto-o em pedaços, grelha mais depressa e fica mais saboroso. No final é só regar com um bom molho de manteiga e lima ou limão e pronto, temos uma refeição perfeita!


Receita para 3 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção - 35 m

Ingredientes

  • 1 frango com 1,200kg 
  • sal q.b.


Molho

  • 2 c. sopa de manteiga
  • sumo de 1 lima
  • 1 fio de óleo de girassol





Confecção

1. Corte o frango em pedaços ou peça no talho para o fazerem. Tempere o frango apenas de sal.

2. Leve o frango à grelha, quando o lume já estiver brando e deixe o frango cozinhar até estar alourado de ambos os lados , cerca de 15 minutos de cada lado). Retire o frango da grelha.

3. Coloque numa tigela a manteiga, o óleo e o sumo de lima e leve ao microondas para derreter mas sem deixar ferver. Pincele o frango com o molho e sirva de seguida.


Bom apetite!!





quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Salada fria de couscous com ervilhas, tomate e queijo fresco


Mais uma salada, bem fresca, leve e saudável que serve de refeição para os dias de Verão, esta salada fria de couscous com ervilhas, tomate e queijo fresco. Simples e deliciosa. Deixo sugestão esperando que gostem!


Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção -15 + 40 no frigorífico


Ingredientes

  • 120 g couscous
  • 2 dl de caldo de galinha a ferver
  • meia cenoura
  • 4 c. sopa de ervilhas cozidas
  • 2 queijos frescos
  • 1 tomate grande e maduro mas firme
  • 2 c. sopa de azeitonas pretas às rodelas
  • sumo de limão q.b.
  • 1 c. sopa de hortelã finamente picada
  • orégãos secos q.b.
  • sal q.b.
  • azeite virgem extra q.b.





 Confecção

1. Numa taça coloque o couscous. Junte uma pitada de sal e o caldo de galinha. Tape bem com película aderente e deixe assim 10 minutos.

2. Entretanto, corte o tomate em cubos pequenos, a cenoura em juliana manual, os queijos frescos em cubos.

3. Após os 10 minutos destape o couscous junte o tomate, as ervilhas, a cenoura, o queijo fresco, as azeitonas, os orégãos, a hortelã , o sumo de limão e um fio de azeite e uma pitada de sal. Mexa com um garfo para envolver tudo bem, prove e rectifique os temperos se necessário. Leve ao frigorífico por uns 40 minutos e sirva a salada fresca.



Espetadas de salsichas de churrasco com bacon, cebola e tomate cereja


Apesar de estarmos com um Verão instável, sempre que está bom tempo aproveitamos para fazer churrasco. Num destes dias fizemos estas deliciosas espetadas de salsichas de churrasco ( da Beira- Lamego que são excelentes) com bacon, cebola e tomate cereja.


Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção - 40 m

Ingredientes
1 embalagem de salsichas de churrasco Beira- Lamego
meia cebola roxa
6 fatias de bacon Beira - Lamego
6 tomates cereja





Confecção

1. Cerca de 1 hora antes coloque os paus de espetada em água para não queimarem. Abra a embalagem das salsichas e do bacon.

2. Corte as salsichas ao meio. Corte a cebola em 3 pedaços. Em cada pau de espetada coloque tomate cereja, 2 meias salsichas, bacon e repita novamente finalizando com a cebola.

3. Leve as espetadas à grelha quando o lume já não estiver em chama. Grelhe as espetadas de ambos os lados até estarem alouradas. Retire da grelha e sirva.


Bom apetite!




Nota

Para esta receita usei os seguintes produtos da Beira - Lamego: Bacon e salsichas de churrasco






terça-feira, 25 de agosto de 2015

Gaspacho à minha moda



Para quem gosta de sopas frias, para os dias de maior calor, esta pode servir de refeição por ser leve, fresca e cheia de nutrientes e legumes bons para a nossa saúde. Uma boa opção para os dias de Verão.


Receita para 2 pessoas
Grau de dificuldade - fácil
Tempo de confecção - 15 m + 40 m no frigorífico

Ingredientes

  • 5 tomates médios bem maduros
  • 1 pepino médio
  • meio pimento encarnado
  • 1/4 pimento verde
  • 1 dente de alho
  • 2 c sopa de azeite virgem extra
  • 1 c. sopa de vinagre de vinho branco
  • sal e pimenta preta q.b.
  • orégãos secos q.b.
  • 4 fatias de pão saloio torrado



Confecção

1.  Numa tigela coloque  3 tomates em cubos, sem pele nem sementes, meio pepino aos cubos, descascado, o dente de alho sem casca, o pimento encarnado aos cubos sem sementes, o azeite, o vinagre, o sal e a  pimenta e triture tudo com a varinha mágica ou use um robot de cozinha( pessoalmente gosto mais de fazer esta sopa com a varinha mágica).

2. Depois de triturado prove e rectifique os temperos se necessário. Coloque o gaspacho numa tigela, polvilhe generosamente com orégãos secos e leve ao frigorífico por 2  horas até servir.

3. Corte em pequenos cubos os outros 2 tomates ( sem sementes), a outra metade do pepino ( sem sementes) e o pimento verde. Torre o pão e corte-o ao meio.

4. Em cada prato coloque 1 fatia de pão, cortada ao meio, e por cima o gaspacho. Por cima coloque a gosto os legumes que cortou em cubos e sirva de seguida.

Bom apetite!